Início » Comunicação Interna » Valorização de Canais de Comunicação Interna On e Off – o papel de cada um!
Comunicação Interna

Valorização de Canais de Comunicação Interna On e Off – o papel de cada um!

Blog SocialBase Comunicação Online e Offline

Sabemos que a Comunicação Interna é, normalmente, feito por diversos canais. Eles são meios por onde as mensagens circulam para chegar ao colaborador. Dentre de uma organização, os canais de Comunicação Interna servem para atingir as pessoas por diferentes frentes, e podem ser tanto on, como offline.

Muitos desses canais atingem todo o público, e outros atingem públicos segmentados. Por exemplo, em empresas onde parte dos colaboradores não acessam computadores, a comunicação não deve se concentrar apenas em meios digitais, mas também pode  ser feita por TV, rádio, informativos impressos ou murais.

Cada canal cumprindo uma estratégia

Saber diferenciar quais públicos estão sendo impactados por quais canais de Comunicação Interna é um dos primeiros exercícios que devemos fazer quando estamos elaborando as estratégias de Comunicação Interna.

Saber como sua audiência irá receber a mensagem e se a forma como foi apresentada são critérios de sucesso da comunicação. E cada canal ou meio exige uma forma de apresentação da mensagem.

Uma notícia publicada na Rede Social Corporativa demanda uma forma de redação. A mesma mensagem falada na TV Corporativa, já exige outra forma, outra abordagem. E por aí vai… Para que a informação seja absorvida de forma eficiente, cada canal exige uma formatação diferente.

É necessário ser tão personalizado?

Sim e não! Isso depende da mensagem, da complexidade que ela exige para ser compreendida e do volume de informação que ela traz.

Mensagens mais simples e comunicados de baixo impacto podem ser compartilhadas em diferentes canais de Comunicação Interna com poucas alterações em sua formatação.

Já mensagens mais complexas, que pretendem provocar alguma mudança ou conscientização exigem um plano de comunicação mais amplo, que prenda a atenção do colaborador para o teor da mensagem em um ou mais formatos, até que a mensagem seja realmente captada.

O que predomina em cada caso é a análise do editor – o comunicador interno ou responsável por esta atividade na empresa, que tem a missão de entender qual é a melhor forma de passar a mensagem para que ela seja absorvida pela audiência interna e cumpra com o esperado.

Ajustando o discurso

Qualquer estratégia de comunicação interna precisa ser conduzida por um editor que conheça a “alma do negócio” e que sirva de “filtro” do que é mais relevante para a comunicação estratégica, o que não é tão relevante, e ajustar esse discurso.

Esse editor pode ser uma pessoa, uma setor, um comitê multidisciplinar, o próprio comunicador – isso irá depender da necessidade de cada empresa.

Cada canal tem seu valor e sua função, bem como cada mensagem deve ter um objetivo e a comunicação em geral deve ser mensurada.

Os canais de Comunicação Interna online são mais fáceis de mensurar – e-mails, intranets e, principalmente, Redes Sociais Corporativas.

Já os canais offline são um pouco mais difíceis: murais, reuniões e informativos são veículos que não oferecem números exatos sobre seus resultados. Porém uma comunicação interna eficiente trabalha nas duas frentes, somando as forças de cada tipo de canal para alcançar o público interno, construindo um diálogo que busque atender as necessidades dos usuários e o propósito estratégico da empresa.

/* ]]> */